Sem pressa para opinar

Sem pressa para opinar

“Eu fico abismado com a facilidade com que pessoas desinformadas chegam a certezas, a opiniões inflamadas quando não têm qualquer base para julgarem”. (William Golding)

Sem pressa para opinar

Somos pessoas de opinião. Muitos de nós acabamos opinando até sobre o que não conhecemos.
Não temos que ter opinião sobre tudo, porque é vasto demais o território a conhecer.
Nossa opinião não pode se basear numa manchete de jornal ou numa chamada de telejornal, obrigatoriamente incompletas porque apresentadas em pouquíssimas palavras.
Nossa opinião deve ser emitida depois de prestarmos atenção ao que o outro diz ou escreve, por uma questão de respeito. Quando respeitamos o outro, fazemos justiça ao conteúdo que ele busca transmitir, não torcemos suas ideias e aprendemos com ele. E aprender é muito bom.
Nossa opinião deve ser fruto do estudo. Dispomos de muitos recursos para melhorar nossa compreensão sobre um assunto. No caso de um artigo, devemos lê-l na íntegra e não apenas algumas frases. No caso de uma reportagem, devemos ouvi-la ou lê-la por completo.
Nossa opinião não deve ser uma mera repetição do que já disseram. Se não nos cuidarmos, repetiremos o que as pessoas nunca disseram, mas disseram que disseram. Se não formos atentos, reproduziremos mentiras. Se não formos críticos, disseminaremos estereótipos e ódios.
Os assuntos realmente importantes podem esperar por nossa opinião.
Quando ponderamos nossas opiniões, ajudamos a levantar a bandeira da paz.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

16/10/2017