O valor do revés

O valor do revés

“Eu tenho a luz do sol em meu coração, independentemente das circunstâncias ao meu redor”. (Ben Carson)

O valor do revés

O resultado do nosso esforço pode ser o sucesso ou o revés.
Sabemos o que fazer diante do sucesso. Devemos celebrar.
Nem sempre sabemos o que fazer depois do revés. Devemos meditar.
Conhecemos a frustração porque nos propusemos a realizar.
Ouvimos um “não” porque perguntamos.
Erramos o caminho porque o procuramos.
Encontramos um muro porque percorremos a rua.
Só se cansa o músculo que sua.
Depois do revés, o resultado contrário ao que esperávamos, há uma decisão a tomar.
O revés tem o poder de nos animar ou desanimar.
O revés pode nos levar a desistir ou a persistir.
Diante do revés podemos achar que o melhor é deixar de fazer ou fazer melhor.
O revés nos pergunta se o nosso foco está na conquista ou na dor.
O revés nos aponta o fundo da caverna para morar ou a montanha para subir.
O revés nos faz escutar a voz velha que nos diz que sabia que não iriamos conseguir.
O revés pode ser o tempo para escutarmos a palavra que nos inspira, como se cantasse, para não termos medo e continuarmos rumo ao topo até nossa tarefa concluir.
O revés pode pode fazer com que se vá o nosso fulgor.
O revés pode ser a oportunidade que o Deus-que-conosco-está usa para nos renovar o vigor.

“Não desanimamos. Pelo contrário, mesmo que o nosso ser exterior se desgaste, o nosso ser interior se renova dia a dia”.(2Coríntios 4.16)

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.