O roteiro da aprendizagem

O roteiro da aprendizagem

“Há uma beleza divina na aprendizagem. Aprender significa aceitar o postulado que a vida não começou com o nosso nascimento. Outros estiveram aqui antes de mim e eu sigo por suas pegadas”. (Elie Wiesel)

O roteiro da aprendizagem

O que nos caracteriza é a capacidade de aprender. Aprender é para todos: para as crianças, para os jovens, para os idosos. Aprender é para quem sabe pouco, ao dar os primeiros passos na longa rodovia do conhecimento, e para quem sabe muito, mesmo depois de elevadas passagens por destacadas casas de pesquisa. Aprender é para todas as classes sociais e todas as religiões. Aprender é para todos os ofícios, seja a política palaciana, seja o agronegócio familiar ou sofisticado.
O que nos distingue é como nos dedicamos a aprender. Tudo começa com a curiosidade, o desejo de saber o que está acontecendo, como ocorreu com Moisés, ao ver um arbusto queimando no fim do horizonte. Tudo continua com o movimento que damos para não nos contentar com o desconhecimento, para superar limites e para transformar a realidade.
O que nos dignifica é o que fazemos com o que aprendemos. Podemos saber por saber. Podemos estudar para ostentar. Podemos aprender para guerrear. Podemos crescer para nos enriquecer. Podemos conhecer para nos confundir. Podemos aprender para fazer melhor, cada vez melhor, a nossa sagrada missão de contribuir para tornar melhores as vidas dos outros, como a entendeu Moisés no antigo Egito, e como podemos nos envolver hoje diante das opressões, distantes e próximas.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.