O passo mais difícil

O passo mais difícil

Há passos difíceis.
O passo mais difícil não é mudar de cidade, trocar de emprego, decidir-se por uma cirurgia, fazer um negócio, selecionar a escola para um filho ou abandonar um ídolo.
O passo mais difícil é aquele que nos separa da morte.
O passo mais difícil é aquele que revela a nossa fragilidade.
O passo mais difícil é aquele que nos desmascara e nos deixa nus no salão sem um quarto onde possamos nos esconder.
O passo mais difícil é o que nós precisamos dar, mas o medo nos detém, a vergonha nos segura, a autossuficiência nos aterroriza.
O passo mais difícil é o reconhecimento de que precisamos de ajuda.
Enquanto não o damos, a única conquista que alcançamos é o cansaço, a única aventura que trilhamos é a beira do precipício, a única razão que nos move é a falta de lucidez.
Quando estamos nesta condição, por dificuldades que se avolumam, por traumas que nos assombram, por insuficiências que herdamos, por escolhas que fizemos ou fizeram para nós, nossa única chance é parar de tentar fazer sozinhos o percurso que não conseguimos, mesmo que, no passado, o tenhamos feito.
O passo mais difícil, o necessário passo, o passo que nos devolve à vida, é a busca da ajuda, é a aceitação da ajuda, é a atenção à ajuda, que pode vir por uma voz que nos ouve ou mesmo por um remédio que repõe o que nos está faltando.
O mesmo que Deus que se tornou pessoa como nós para que fôssemos plenos, coloca pessoas ao nosso redor para nos ajudar a ser aquilo para o qual nos projetou.
Se o passo mais difícil nos aguarda, nós podemos dá-lo. Agora.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

30/10/2017