Chega de negar os fatos sobre nós mesmos

Chega de negar os fatos sobre nós mesmos

“Ou agimos contra tudo o que nos diminui, ou manteremos a mentira, a dor e a infelicidade de uma vida vazia”. (Marcel Camargo)

Chega de negar os fatos sobre nós mesmos

A primeira lição que os participantes dos grupos de ajuda aprendem é que devem parar de negar os fatos a seu respeito. Se querem mudar e retomar o controle de suas vidas, devem admitir que estão em dificuldade.
Não é fácil parar de negar.
Parar de negar os nossos problemas dói muito, mas é a única chance de recomeçarmos.
Se estamos doentes e continuamos negando, nossa enfermidade vai se agravar. Por vezes, cometemos o desatino de dizer que o nosso corpo vai bem embora arda de febre e, coerentes no engano, deixamos de tomar um remédio ou de pesquisar as causas da temperatura corporal descontrolada.
É mais fácil imaginar que tudo vai ficar bem, sem que nada façamos, embora seja evidente que as coisas não melhoram quando nada fazemos.
Vamos começar?
Se temos um problema — seja ele intelectual, moral, emocional ou espiritual — principiemos por admiti-lo. O passo pode ser menos ou mais doloroso, a depender de como estamos. O problema é que admitir que não sabemos nos envergonha. Confessar que erramos nos expõe. Compartilhar nossa fragilidade emocional — uma depressão, por exemplo — enche-nos de culpa. Reconhecer que é frágil a nossa fé nos diminui. No entanto — eis a verdade — a verdade sobre nós mesmos só nos faz bem e jamais devemos deixar de proferi-la.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

17/07/2017