As tarefas do Natal

As tarefas do Natal

“São as cestinhas forradas de seda, as caixas transparentes, os estojos, os papéis de embrulho com desenhos inesperados, os barbantes, atilhos, fitas, o que na verdade oferecemos aos parentes e amigos. Pagamos por essa graça delicada da ilusão. E logo tudo se esvai, por entre sorrisos e alegrias. Durável — apenas o Meninozinho nas suas palhas, a olhar para este mundo.” (Cecília Meireles)

As tarefas do Natal

Temos algumas tarefas para todos os dias.
Precisamos Estudar o Natal de Jesus. A história ocupa poucos capítulos da Bíblia nos livros de Mateus e Lucas. Embora sejam breves, as narrativas da Natividade são precisas e claras. Devemos nos deter em cada momento contado, captá-lo detalhadamente e complementá-lo com outras leituras sobre cada cidade mencionada, sobre o nascimento e a infância naquela época e sobre as personagens que marcam a história registrada.
Precisamos Explicar o Natal de Jesus. Devemos refletir sobre o processo pelo qual Deus se tornou gente, o papel essencial desempenhado por Maria e José, a veracidade do censo que levou o casal a Belém e o movimento dos astros celestes. O Natal nos inspira a crer e nos desafia a compreender.
Precisamos Espalhar o Natal de Jesus. Esta história não pode se perder nas lindas celebrações e nem mesmos nos belos gestos de solidariedade que propõe. O brilho da estação não pode ofuscar a glória daquele que entre nós viveu. A alegria desses dias não pode soterrar a manjedoura. Temos que falar pelas montanhas que o Messias nasceu.
Precisamos Espelhar o Natal de Jesus. Nossas vidas devem traduzir que, como os pastores, fomos a Belém além do horizonte. Em nossos relacionamentos, como novos magos, devemos ser ouro, incenso e mirra para o próximo e o distante.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.