Amor em ação

Amor em ação

“Amor em ação é serviço”. (Ken Essien)

Amor em ação

Quando se encontrou com a viúva de um dos seus colaboradores, o profeta Eliseu lhe fez uma pergunta, a mesma que Jesus faria aos seus discípulos (Marcos 6 e 8):
— O que você tem em mãos? (2Reis 4.1-7)
Só havia uma pequena vasilha com um pouco de azeite, que, multiplicado, ocuparia um caminhão-pipa.
Deus se serve do que temos. A mulher não reteve o pouco tinha; antes, colocou-o à disposição. Como na matemática, em que zero multiplicado por qualquer número é igual a zero, havia o que ser multiplicado.
Devemos olhar para as nossas mãos e nos perguntar sobre o que temos feito com o que temos. Se fôssemos os vizinhos nesta história, nós emprestaríamos nossas vasilhas?
Por sua grandeza e suficiência, Deus poderia multiplicar sozinho o azeite ou fazer azeite a partir do nada, mas ele decidiu usar Eliseu. Eliseu poderia fazer tudo sozinho, mas usou os recursos, os filhos e os vizinhos da viúva.
Deus recupera nossa mente sem psicólogos e com psicólogos, com ou sem remédios. Ele pode construir pontes sozinho, mas usa engenheiros, técnicos e operários. Agindo através de pessoas ou sem a participação delas, é o seu amor em ação. Nós podemos ser o amor de Deus em ação.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.