COLUNA | COMPORTAMENTO

O equilíbrio das emoções (parte I)

Um desafio para o ser humano, é evitar excessos emocionais, e os prejuízos que podem trazer!
A emoção, definida pelo dicionário Houaiss como “agitação de sentimentos”, por um lado nos protege de riscos(no caso de medo), estabelece limites e nos dá forças para nos defendermos(em momentos de raiva) ou nos aproxima de diferentes grupos(se pensarmos na empatia ou paixão). Por outro lado, pode nos colocar em situações difíceis, que paralisam ações,  faz nos arrependermos de atos  e conduzem ao sofrimento.


É exatamente como o remédio que pode curar ou matar: o efeito depende da quantidade ministrada.
Não há emoções intrinsecamente “boas” ou “más”. O efeito que causam em nós depende em essência da forma como lidamos com elas.
Assim, podemos considerar que exprimir  adequadamente as emoções, será extremamente benéfico.
Ter equilíbrio emocional é mais do que estar estável é ser flexível, para sentir e refletir sobre o que está sentindo!
Em meio a tantas variáveis, uma pergunta é quase inevitável: temos autonomia para lidar com paixões, desejos, alegrias, culpas, arrependimentos e arroubos de irritação? Provavelmente menos do que a maioria de nós gostaria.
Ainda assim, compreender o que sentimos e como sentimos, certamente nos ajuda a fazer escolhas conscientes, cuidadosas e saudáveis.

Continua…

Carmen Pires
Psicóloga / Psicopedagoga / Consultora em Gestão de Pessoas
Grupo Qualidade de Vida / Membro da PIBCGRJ

Compartilhe: