Voltando a sorrir

Voltando a sorrir

Coisas dolorosas acontecem a todos. Às vezes, saber a razão nos ensina a evitar as coisas ruins que provocamos. Às vezes, conhecer as causas das dificuldades não faz parte da solução. Assim mesmo é importante que reflitamos.
De qualquer modo, há algo que podemos fazer antes que experimentemos as dores. Enquanto estamos bem, devemos procurar nos fortalecer, como se fizéssemos exercícios físicos para a saúde do corpo.
Foi assim com Noemi de Judá, uma senhora do século 13 antes de Cristo. Junto com o marido e os filhos, teve que imigrar para outro país por causa da falta de trabalho em sua terra. Lá as coisas pioraram. O marido morreu primeiro e alguns anos depois faleceram também seus dois filhos. Quando soube que a situação tinha melhorado em sua terra, voltou. Uma das noras (Rute) retornou junto. A vida continuou dura durante um bom tempo, até que a moça encontrou trabalho e se casou e teve um filho, que a avó pôde segurar alegremente no colo.
Noemi passou por suas dores chorando. Pediu até que trocassem seu nome, de “Noemi”, que significa “feliz”, para “Mara”, amargurada. No entanto, enquanto se lamentava, ela cantava: “Deus é bom”. Foi assim que ela se fortaleceu.
Nas horas da aflição, Noemi se alimentou do que sabia sobre Deus. Esta certeza lhe trouxe esperança. No que pôde fazer, ela fez. No que não pôde, sua ação foi esperar. Deus agiu e ela voltou a ser Noemi (feliz).
Procuremos ser ainda mais fortes fisicamente, emocionalmente, moralmente e espiritualmente quando tudo nos vai bem. Quando, porventura, se tornarem difíceis, saberemos que poderemos voltar a sorrir.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

01/08/2016