Perto da Decisão

Perto da Decisão

“A coisa mais difícil da vida é que ponte atravessar e que ponte destruir”. (David Russell)

Vai tomar uma decisão?
Examine todos os lados da questão. Avalie os benefícios. Considere os prejuízos. Imagine os riscos.
A razão é o nosso mais importante recurso. No entanto, refletindo de modo amplo, precisamos nos lembrar que nossas decisões nem sempre são racionais, por mais que achemos. Os pensamentos sempre trafegam no túnel das emoções, boas como a solidariedade ou péssimas como o rancor.
Mesmo depois de formada a sua convicção, há algo a fazer ainda, se não o fez: é consultar um amigo ou um profissional. Se for um amigo, ele vai ouvi-lo e ponderar. Se ele for mesmo amigo, vai sugerir que siga em frente na decisão formada ou vai dizer claramente que você está no caminho errado. Se for um profissional, vai trazer outras facetas à questão, para ajudá-lo a decidir corretamente. Talvez precise ouvir mais de uma pessoa. Como você sabe, “sem conselhos os planos fracassam, mas com muitos conselheiros há sucesso” (Provérbios 15.22).
Talvez, nesse momento agora, você, tomada já a decisão, esteja esperando apenas a oportunidade de comunicar sua escolha às partes interessadas. Neste caso, pense um pouco mais. Você pode estar errado. Nesse caso, voltar atrás agora é um gesto de grandeza.
Você está em paz ou angustiado com a escolha? Se não estiver em paz, não decida.
Vai gerar mágoa com o caminho adotado? Pondere se valerá o preço a ser pago pelos outros.
Você já ouviu um bom conselheiro? Se está sozinho, junte-se a quem possa estar ao seu lado.
Talvez, tomando esses cuidados, sua decisão demore um pouco, mas você não se arrependerá.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

20/06/2016