Ostentações

Ostentações

“Há pessoas que são humildes por ostentação”. (Leoni Kaseff)

Ostentações

Os seres humanos não se contentam em ter; eles ostentam que têm.
Os seres humanos não se bastam em saber; eles arrotam que sabem.
Os seres humanos acham pouco ser o que são; eles expõem o que são.
Até as virtudes são promovidas como mercadorias que valorizam seus detentores no mercado da bondade.
Foi por isto que Jesus disse que quem jejuasse deveria manter em segredo o seu gesto.
Foi pro isto que ele disse que quem desse uma esmola deveria esquecer que o fizera.
Em todos os tempos, uns ostentam carros ou aviões, jóias ou roupas, títulos ou honras.
Ostentar é tão humano que leva alguns a se orgulharem da sua humildade ou da sua simplicidade.
A ostentação faz girar a roda da parte da economia. A ostentação nos faz aderir a ondas e modismos que antes achávamos estranhos. A ostentação nos leva a comprar o que não precisamos. A ostentação nos faz caminhar pela avenida das aquisições supérfluas. A ostentação se nutre da inveja.
Não precisamos ter o carro que o outro tem, porque talvez nem de carro precisemos. Não precisamos ter a casa que o outro tem. Não precisamos usar a roupa que o outro usa. Não precisamos portar a joia que o outro carrega. Não precisamos viajar para o lugar que o outro vai.
Se faz a economia se desenvolver, a ostentação faz também nossa alma adoecer.
Podemos viver como Jesus viveu.
Não somos o que temos ou sabemos. Podemos ser felizes tendo pouco ou até sabendo pouco. Podemos ser ainda mais felizes tendo mais e sabendo mais, tão realizados que não precisamos ostentar. Quem ostenta não é feliz porque não passa de um deslumbrado. Nós podemos irradiar outro tipo de brilho.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

13/02/2017