O certo

O certo

“Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível”. (Mahatma Gandhi)

O certo

Entre as noções mais precisas que necessitamos está a do certo e errado. Desde cedo, precisamos discernir a diferença entre os dois.
Desde cedo também, somos avisados que esta noção é relativa. Era comum há alguns anos se dizer que “pecado é roubar e não poder carregar”, pensamento considerado como sábio, ou que “achado não é roubado” ou ainda que “não devemos levar desaforo para casa”. A lista é imensa e revela que nem sempre, segundo outro ditado popular, “a voz do povo é a voz de Deus”.
Afirmemos e reafirmemos: o certo existe e devemos nos empenhar em recebê-lo e praticá-lo. Nunca nos arrependeremos em fazer o que é certo. Nunca colheremos consequências ruins do acerto.
Em todos os tempos, a noção do que é certo é questionada. No entanto, quando o que é certo é louvado, somos estimulados a praticá-lo. Quando o que é errado é elogiado, ficamos confusos.
Todos temos responsabilidade quanto ao que fazemos e quanto ao que sugerimos. Se dizemos a uma pessoa para trilhar o caminho errado, participamos do seu erro. Se seguimos um conselho errado, o outro nem sempre arca com as consequências dos erros praticados nós ao ouvi-lo. É sempre nossa a responsabilidade final.
Devemos erguer nossas vozes para levantar bem alto a bandeira do que é certo. Assim formaremos uma barreira contra os sons do erro que tocam em todos os meios, levando muitos a fazer o que é errado achando que estão certos. O erro tantas vezes repetido pode ser recebido como certo.
Além disto, devemos nos empenhar em praticar o que é certo, para sermos notados como exemplos bons e para participarmos da construção de um mundo em que valha a pena viver.

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

03/04/2017