Firmes promessas

Firmes promessas

“Tome para você a promessa de Deus, pois ela é suficiente, e mais do que suficiente, mesmo que todas as fontes da terra se sequem”. (C. H. Spurgeon)

Passamos por momentos na vida em que precisamos nos refugiar nas promessas do Senhor Deus.
Há momentos em que nos sentimos sozinhos, como se lutássemos sem ninguém ao nosso lado, como se olhássemos para todas as direções e não encontrássemos mãos a quem dar, como se buscássemos ouvidos que se inclinassem para nós e não víssemos. Deve nos confortar a certeza que o Senhor Deus estará conosco todos os dias até o fim (Mateus 28.20) e que nos acompanhará tão perto como se fosse a nossa própria sombra (Salmo 121.5).
Há momentos em que nos sentimos confusos, desorientados, sem saber o sentido para onde ir, embora tenhamos seguido bem até agora. Tomados por uma fragilidade interna, de ordem emocional, ou ameaçados por uma adversidade externa, objetivamente forte, temos que correr para a cabana onde o Senhor Deus nos espera para nos receber, restaurar e reenviar (Salmo 23.5).
Há momentos em que, fazendo tudo certo, buscando o bem de todos a que possamos alcançar, o punhal da injustiça se aloja perto do nosso peito ou é mesmo nele cravado. Fortalece-nos saber que os injustos não subsistirão para sempre e que a fidelidade do Senhor Deus fará, na plenitude do tempo, que a verdade sobre as nossas vidas resplandeça como o sol do meio-dia (Salmo 37.6).
Há momentos em que trabalhamos incansavelmente, mas nossas mãos não veem os frutos, como se tivéssemos nos dedicado em vão. Para continuarmos, energiza-nos saber que o nosso trabalho feito para o Senhor Deus nunca é vão (1Coríntios 15.58) e que Ele mesmo completará o que nos convidou para começar (Filipenses 1.6).

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

16/01/2017